49 seg SegurançaVocê tem medo de ser espionado pelo seu parceiro? Quase metade dos brasileiros tem

1654719730_49-secSecurityAre-you-afraid-of-being-spied-on-by-your
1654719730_49-secSecurityAre-you-afraid-of-being-spied-on-by-your

Existem muitos tipos de relacionamentos amorosos, e nem todos são saudáveis, com os parceiros tentando invadir a privacidade de seus pares, por meio de táticas de perseguição virtual, por motivos de insegurança — sendo espionados pelo parceiro, segundo o estudo online Stalking . em Relacionamentos, da Kaspersky, atinge 44% dos brasileiros.

  • O que é perseguição? Como se proteger?
  • 3 em cada 10 brasileiros acham aceitável espionar o parceiro usando aplicativos

O estudo foi realizado online a pedido da Kaspersky pela empresa de pesquisas Sapio em setembro de 2021 e abrangeu um universo de 21 mil participantes de 21 países, incluindo o Brasil. A motivação da empresa para a realização deste estudo e sua posterior divulgação também está relacionada ao segundo aniversário da Coalition Against Stalkerware — entidade que visa combater essa ameaça digital da qual a Kaspersky é cofundadora.

A preocupação dos 44% dos brasileiros citados na pesquisa está voltada principalmente para o stalkerware, software que, após ser implementado em um smartphone, é capaz de espionar a vida privada de outra pessoa sem o seu consentimento. Eles normalmente se instalam em telefones celulares para que não possam ser identificados por vítimas de monitoramento inadequado e, muitas vezes, obtêm acesso ao microfone e à câmera do dispositivo – além dos arquivos e conversas armazenados no dispositivo.

A ameaça do stalkerware é séria, mas a Kaspersky afirma que é possível identificá-la por meio de alguns sinais de celular, que compartilhamos abaixo:

  • A bateria acaba rapidamente.
  • Superaquecimento do dispositivo.
  • O equipamento reinicia sozinho.
  • Plano de dados (4G) acaba rápido (ou consumo exagerado de dados, se ilimitado ou muito alto)
  • Você suspeita que alguém acessou o celular recentemente.
  • Aplicativo que acessa rastreamento por GPS, mensagem de texto, gravações de chamadas ou outras atividades pessoais. Para verificar isso, revise as permissões dos programas instalados.
  • No histórico do navegador: presença de sites desconhecidos ou ausência de histórico.

“Com o crescimento da violência doméstica na pandemia e a relação direta entre perseguição digital e abuso físico e psicológico, acreditamos ser importante conhecer os sinais que podem indicar monitoramento sem consentimento e, assim, poder atuar preventivamente”, diz Fábio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil.

Como se proteger de alguém espionando você

49-secSecurityAre-you-afraid-of-being-spied-on-by-your

É importante saber se proteger de possíveis tentativas de espionagem (Imagem: Divulgação/Annabel P/Pixabay)

Embora a pesquisa revele que a maioria dos brasileiros (70%) não acredita que seja aceitável monitorar o parceiro sem o seu consentimento, há quem pense que certos motivos justificam a vigilância encoberta, como infidelidade, questões de segurança ou suspeita de crime atividade — que pode levar à instalação de stalkerware ou outros tipos de violações de privacidade.

Nesse contexto, é importante que as pessoas adotem medidas de segurança em seus dispositivos móveis para evitar que situações de risco, como o stalkerware, ocorram. Algumas das principais formas de precaução são as seguintes:

  • Tenha uma senha (de preferência forte) para desbloquear seu aparelho. Troque-o com frequência.
  • Não revele a senha a ninguém, nem mesmo a familiares ou amigos.
  • Revise a lista de aplicativos instalados e remova aqueles que não são mais usados.
  • Desative a opção “instalar aplicativos de terceiros” em dispositivos Android.
  • Tenha sempre o seu celular por perto.
Gabriel Lafetá Rabelo
Pai, marido, analista de sistemas, web master, proprietário de agência de marketing digital e apaixonado pelo que faz. Desde 2011 escrevendo artigos e conteúdos para web com foco em tecnologia,